Fratura do Calcâneo - figura 1

     O calcâneo é o maior osso do pé humano e desempenha importante papel no suporte da carga corporal. Por isso, é freqüentemente envolvido na maioria doseventos traumáticos que atingem o pé. Por suas relações anatômicas com otendão de Aquiles, com o talo (osso que une o pé à perna) e com o solo, asfraturas do calcâneo são extremamente importantes.

     As mais graves fraturas de calcâneo são aquelas que resultam da queda em pé de grande altura. São acidentes que incidem sobre pessoas jovens, geralmente homens, em sua fase mais produtiva da vida.

     Sob a ação do peso do corpo o calcâneo golpeia o solo e é comprimido por cima pelo talo. As superfícies articulares dorsais do calcâneo fragmentam-se e afundam para dentro do próprio osso que se esmaga.

     Quanto maior a energia da queda, maior a fragmentação óssea e pior a chance de recuperação funcional do individuo.

     As radiografias obtidas na urgência são úteis para o diagnóstico, mas a completa análise das fraturas de calcâneo, sua graduação e o estabelecimento de condutas terapêuticas deve ser feito, preferentemente, com base no estudo tomográfico computadorizado do pé fraturado.

     O tratamento conservador (não cirúrgico) consiste na elevação do membro, analgesia e imobilização (aparelho gessado ou plástico) até completar o tempo de consolidação óssea - que ocorrerá após 8 semanas. Esta forma de tratamento se restringe às fraturas de baixa energia nas quais não se detecte desvio entre os fragmentos ou aos pacientes que não apresentem condições clínicas para se submeterem a uma cirurgia.

     Nas fraturas com desvios superiores a 2 milímetros e afundamento das superfícies articulares, é recomendável o tratamento cirúrgico. O objetivo é o perfeito alinhamento das superfícies articulares, além da reconstituição da altura e largura do corpo do calcâneo.

     Qualquer desvio das superfícies articulares pode desencadear o desgaste da cartilagem articular culminando com o quadro de artrose que se caracteriza por dor intensa e perda progressiva da mobilidade.

Fraturas do Calcâneo - figura 2

     Durante o procedimento o cirurgião vai identificando, corrigindo e fixando os fragmentos da fratura até obter sua completa remodelação. Para manter a redução obtida, podem ser usados fios de aço, parafusos isolados ou placas metálicas. O paciente deverá permanecer 8 a 10 semanas sem apoiar o peso do corpo sobre o membro operado, mas pode iniciar programa de reabilitação desde que sejam identificadas condições para tal.

     Nos casos em que não foi possível obter a perfeita regularização da fratura, surge a artrose dolorosa do retropé que deve ser tratada através da artrodese entre o talo e o calcâneo (fusão entre os ossos).

     Quando, em função do afundamento e alargamento do calcâneo, surgem sintomas de compressão dos tendões laterais do tornozelo (tendões fibulares) está indicada a remodelação cirúrgica do calcâneo onde se usam blocos ósseos (enxerto) para reconstruir a arquitetura daquele osso. São cirurgias mais delicadas e extensas cujo resultado depende da vitalidade e resposta dos tecidos.

Prof. Dr. Caio Nery